quarta-feira, 22 de agosto de 2007

MAIS-QUE-VENCEDORES


O Encerramento do PARAPAN deixa saudades e profundas lições.


Todos os seus participantes tinham em seu corpo alguma limitação física, alguma deficiência de nascença ou acidental. Todos tinham motivos suficientes para se recolherem em depressão ou revolta pelo que a vida lhes privou, e viver entregues, dependentes, como desistentes da vida.


Quando eu vejo a foto acima, contudo, enxergo mais que vencedores que não se entregaram, não se conformaram e nem permitiram que as ditas deficiências físicas limitassem sua existência, antes, através do esporte, com determinação e garra, fizeram delas obstáculos a serem superados, um mero detalhe a mais na superação dos limites tornando-se exemplos para quem decidir não permitir que nenhuma barreira os impeça de viver. Meus parabéns a todos os atletas que participaram deste evento.


Esses paraatletas me lembram o que o Autor da carta aos Hebreus falou a seus leitores em Hebreus 12:1,2: "Portanto, também nós que estamos cercados por tão grande núvem de testemunhas, livremo-nos de todo o peso e do pecado que tão de perto nos rodeia e corramos a carreira que nos foi proposta, olhando fixamente para Jesus, Autor e Consumador da nossa fé".


A Bíblia compara a nossa vida com uma maratona, uma corrida de resistência, onde a perseverança é condição fundamental para vencer. Nessa corrida não vence quem não tem fraquezas, ou limitações, não é uma carreira para "perfeitos". Todos nós por causa da nossa natureza carnal, somos marcados por deficiências e limitações espirituais, que nos distanciam de Deus.


Sendo assim quem vence tal corrida?


Aquele que segue o exemplo de fé de quem já terminou a corrida. O capítulo 11 nos dá uma lista de pessoas que, conquanto limitadas e tão humanas quanto nós, venceram, chegaram ao final, algumas conhecidas, outras anônimas, mas todas exaltadas por Deus como "pessoas dos quais o mundo não era digno". Elas não tinham nada de especial, apenas souberam correr conforme as instruções dadas por Deus. O que fizeram e nós devemos fazer também?


Devemos nos livrar dos pesos desnecessários, dos pensamentos, atividades que atrapalham a caminhada, do ativismo em excesso, dos complexos e fortalezas espirituais, dos pensamentos fixos de derrota. É preciso se livrar dos pesos.


Além disso, devemos nos distanciar do pecado, das práticas que entristecem a Deus, que força a pessoa a andar para trás e, a cada dia, aproximarmos de Deus, cônscio de que, quanto mais próximo dele, mais longe do pecado.


Também precisamos decidir nunca desistir. Perseverança é assumir um compromisso de continuar aconteça o que acontecer. Não existem vitória sem determinação de superar os limites, deficiências e fraquezas no poder do Espírito Santo.

Para vencer, contudo, é fundamental ter a mente focada em Jesus Cristo, olhar para a linha de chegada e continuar em direção a ela até chegar. É esperar receber dele o abraço, o elogio, o aplauso, ele tem dito a você durante a caminhada: "continue, vai valer a pena". Todo o sofrimento e esforço, toda superação será recompensada pela coroa que está reservada no final.

Os paratletas me lembraram a minha corrida espiritual, do que preciso e posso, em Deus, superar, de olhar para aqueles que já venceram, abandonar tudo o que possa me impedir de chegar ao final e a não desistir por nada, porque quero ouvir o meu Senhor dizer quando eu chegar: "Você é um filho em quem eu tenho prazer, que me dá alegrias!". Vale a pena o preço a ser pago agora.

Aos paratletas meus parabéns, e meu muito obrigado! Vocês merecem o nosso respeito!






Um comentário:

ALTAIR GERMANO disse...

Paz e graça!

Amado Beno, coloque um contador de acessos em seu blog, isso ajuda a acompanhar o índice de visitas.

Um abraço!